sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Intercâmbio de livros entre Holanda e Brasil!

Lembram dos livros holandeses transformados em livros de língua portuguesa para leitores brasileiros? Os livros holandeses que nossa amiga Juliette Fernandes pacientemente traduz, imprime, recorta e cola a tradução sobre as palavras holandesas, transformando-os em livros para leitores de língua portuguesa.  Vários desses livros já foram levados para Morretes por nós (Daniele e Juliano) juntamente com o Edemilson Pereira, para a Estrada do Anhaia, para serem emprestados entre os alunos da Escola Rural de Anhaia e para a Escola Rural de Rodeio, e a gente espera que eles estejam sendo bem aproveitados pelas crianças. =)

Eu vou tentar conseguir através do Edemilson um retorno por parte das nossas amigas professoras lá das escolas rurais, para ver se as crianças estão emprestando os livros, levando para casa e devolvendo, para a Juliette ter uma ideia da abrangência do trabalho dela.

Na foto a gente pode conferir a nova leva de livros que a Juliette enviou para o Brasil, com a a colaboração das meninas do blog "Entre Mulheres e Letras". Elas pagaram o envio da caixa de livros da Holanda para o Brasil. Agradecimentos especiais à Clarissa Mattos, Norma Figueiredo, Simone Strijk, Fernanda Castro Desiree Vermeer, Malka Campos e Juliette Fernandes, sem essa união, não seria possível que os livros chegassem à leitores  tão distantes da Holanda.

O "Entre Mulheres e Letras" é o blog de um grupo de brasileiras que se reúnem a cada 3 meses para trocar livros e conversar. Como a Juliette nos contou, nestes encontros elas acabam conhecendo outros autores e pegando livros que nunca imaginaram ler, só por conta do entusiasmo que alguém descreve a história ou fala do autor. Recentemente elas participaram da Feira do Livro de Frankfurt (a maior e mais importante feira do setor editorial mundial). Elas são de várias cidades da Holanda - Utrecht, Rotterdam, Arnhem e Zundert. Existe uma página no Facebook para quem quiser conhecê-las.


Nós vamos receber uma parte desses livros para doarmos à um local apropriado, respeitando as seguintes palavras da Juliette: "Como são livros de capa dura, impermeabilizados que permitem, inclusive, serem limpos com paninho úmido e como passaram por um processo de tradução, colagem e muito amor (mas da trabalho)…gostaria que eles ficassem em algum lugar fixo (alguma instituição)".

Abrimos mão da última leva de livros holandeses que a Juliette enviou há alguns meses, porque não tínhamos um local certo para doarmos, e a gente não queria que os livros ficassem parados na nossa sala, sem uma destinação correta, então deixamos a nossa parte com a Freguesia do Livro. Mas dessa vez temos dois possíveis locais em vista, será muito bacana fazer essa intermediação.

Para aqueles que estão se iniciando no mundo dos livros agora, é bom saber que sem a orientação de um adulto, uma criança um pouco menor e curiosa poderia arrancar dos livros os adesivos que cobrem as traduções, e correria o risco de estragar o livro. Mas se bem cuidados, a Juliette tem certeza de que eles vão durar mais uma década.



Gosto muito desse pensamento da Juliette: "(...) livro não é brinquedo e se a criança não sabe ler direito vai usar aquilo como brinquedo, vai estragar e logo perde o interesse. O objetivo é fazer a criança amar os livros, ler e conservá-los...ainda mais os holandeses que dá um trabalho danado para traduzir, colar, adesivar (ocupa muito do meu tempo)."

E livros conservados podem ser reutilizados no futuro por mais e mais crianças. É legal que os pais que oferecem livros aos filhos, ensinem também a preservá-los desde pequenos, ao invés de dar canetinhas, giz de cera e lápis de cor, ensinando assim desde criança, o pensamento sustentável, sem desperdício. Para isso existem as revistas e livros de colorir, inclusive muitas já vem com lápis de cor. É legal mostrar para as crianças pequenas essa diferenciação, o livro que serve para colorir e o livro que serve para leitura. Ah, outra coisa: doar livro rabiscado e rasgado para outro leitor ou para bibliotecas comunitárias é deselegante.

Nos sentimos bastante lisonjeados em poder receber esses livros que são tão cuidadosamente transformados, com tanto trabalho e carinho para novos leitores. Você pode ver a entrega dos livros holandeses para as crianças das escolas rurais (Escola Rural Municipal de Rodeio e Escola Rural Municipal de Anhaia) nos seguintes posts:


A história dos livros holandeses encontra-se em "Da Holanda para a Estrada do Anhaia". Clique na tag "livros holandeses" e você fica sabendo um pouco mais sobre eles.

0 comentários:

Postar um comentário