terça-feira, 27 de novembro de 2012

Cartinhas para o Papai Noel

Vocês já nos viram escrever bastante sobre a Professora Anecy e seus alunos da Escola Rural Municipal de Canhembora, localizada na comunidade de Candonga em Morretes/PR. Hoje nós divulgamos no blog Bibliotecas do Brasil as cartinhas que os alunos da Professora Anecy escreveram para o Papai Noel. São pedidos bem bacanas de presentes que elas esperam ganhar do Papai Noel nesse Natal.

E você pode ajudar adotando uma das cartas que as crianças escreveram, ou colaborando com itens para essa ação solidária. As pessoas interessadas podem doar os produtos pedidos pelos alunos nas cartas para as cestas que serão montadas e entregues, entrando em contato com a professora Anecy pelo email aneoncken@yahoo.com.br. 

Os pedidos variam entre brinquedos como bolas, pipas, bonecas, adesivos, bijuterias, material de higiene pessoal e também itens para a ceia natalina de cada uma das crianças. Os presentes serão entregues no dia 14 de dezembro de 2012. Acesse o blog, leia as cartinhas e participe.

*Saiba mais detalhes sobre o Natal Rural Solidário da Professora Anecy para as crianças do Canhembora.

Foto: Vintage Holiday Crafts

sábado, 24 de novembro de 2012

Mediadores de leitura do projeto Passagens Literárias

Durante os meses de outubro e novembro nós fizemos o curso de Mediadores de Leitura do ponto de cultura Passagens Literárias da Fundação Sidónio Muralha.

Priscila Angélica, ministrante do curso de mediadores de leitura e os livros holandeses que doamos com a ajuda da Juliette Fernandes, e as blogueiras do Entre Mulheres e Letras

Essa estante é um carrinho que a Priscila faz circular pela Rodoferroviária de Curitiba, proporcionando um momento de leitura aos passageiros que aguardam o embarque. 

Juliano e o carrinho-estante onde os livros holandeses serão emprestados aos passageiros da rodoviária de Curitiba

O Passagens Literárias é um projeto de incentivo à leitura realizado pela atriz e contadora de histórias Priscila Angélica Sehnem na Rodoferroviária de Curitiba, todas as sextas-feiras (exceto nas vésperas de feriados), das 19h às 22h. A Priscila circula pelo saguão de embarque da rodoviária com esse carrinho-estante, com vários livros selecionados cuidadosamente por ela, para proporcionar momentos de leitura às pessoas que aguardam seus ônibus. Enquanto esperam, as pessoas podem escolher o livro que querem ler, emprestam e devolvem na hora de embarcar.

São livros de literatura brasileira e estrangeira, livros de poesia, contos e crônicas, de filosofia e muitos livros infantis. Além de instigar os passageiros a emprestarem livros, a Priscila também faz contação de histórias. É muito bacana acompanhar esse trabalho de perto, e quem quiser conhecer a Priscila e o carrinho-estante pode dar uma passada na Rodoferroviária de Curitiba até o dia 14 de Dezembro, toda sexta-feira, no horário já citado. 

Nessa sexta-feira (23/11) acompanhamos o trabalho dela e da Paula Schuartz (estudante de Filosofia e nossa colega no curso de mediadores que colabora com o projeto). As crianças ficaram simplesmente encantadas com os livros holandeses. Vi muitos adultos com eles nas mãos também. É muito bacana poder testemunhar esse momento de cuidado com o outro, de humanização em um lugar totalmente decadente, e agora ainda mais bagunçado porque está em reforma. 

Os leitores também são convidados a preencher um cartão postal do projeto Passagens Literárias, fornecido pela Priscila, para que escrevam uma mensagem, uma frase, ou uma poesia, e que enviem de suas cidades para a Fundação Sidónio Muralha, como carta social. Assim as pessoas além de serem incentivadas a ler enquanto esperam o embarque na rodoviária, também são incentivadas a escrever e se corresponder. 

Projeto Passagens Literárias
Toda sexta-feira (exceto nas vésperas de feriados) até dia 14 de dezembro/2012, das 19h às 22h. Depois  do dia 14 o projeto entrará em férias. A Fundação Sidónio Muralha e  voltará às atividades no dia 7 de janeiro/2013.
Email para contato: passagensliterarias@gmail.com
Site da Fundação Sidónio Muralha: Philosletera

Fotos: Daniele Carneiro e Juliano Rocha

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Livros holandeses doados para o projeto Passagens Literárias


Nós deixamos os livros holandeses que a Juliette Fernandes nos doou, com a Priscila Angélica Santos Sehnem e seu maravilhoso projeto o "Passagens Literárias", que promove a mediação de leitura e a contação de histórias para as pessoas que aguardam seus ônibus na Rodoferroviária de Curitiba. A gente queria saber se os livros estavam de acordo com a mediação de leitura que a Priscila faz na rodoviária. Ela leu os livros e achou uma graça. A Priscila levou os livros holandeses para a Rodoviária de Curitiba e eles foram muito bem emprestados. Nós temos mais alguns livros holandeses em casa e vamos doar todos para o "Passagens Literárias", projeto muito bonito, desenvolvido em parceria com a Fundação Sidónio Muralha. Os livros holandeses acharam finalmente sua casa, e como a Juliette queria, vão durar um tempão! Obrigada Priscila e Juliette, pela oportunidade de reunir iniciativas de incentivo à leitura tão nobres!

Foto: Juliano Rocha

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Leitura nas férias!

Colocar livros nas mãos dos leitores, é isso o que nós fazemos e gostamos. Quando recebi algumas doações de livros infantis no mês passado, a ideia que tive e, principalmente a minha intenção, foi a de enviar para a Professora Anecy, para que seus alunos não passem as férias sem leituras, e eu acredito que alcancei meu objetivo!

Transporte solidário é isso: - Nós levamos essa caixa de livros até o Sítio Vanessa, e o Edemilson, de moto levou a caixa até a gráfica onde ele trabalha no centro de Morretes. O marido da Professora Anecy passou para pegar a caixa, e levou os livros até a comunidade de Candonga, para os alunos da Escola Rural Municipal de Canhembora. Eu não sei dizer a que distância encontra-se o Sítio Vanessa (localizada no bairro Cabrestante na Estrada do Anhaia) da comunidade rural de Candonga, mas sei que são bem distantes uma da outra. Vou pesquisar essa informação com o Edemilson e depois conto para vocês.

A Professora Anecy contou em seu Facebook: "Um pouco (dos livros) dei para eles levarem para casa, outros vou manter em sala de aula. Meus alunos e eu agradecemos". Muito legal! Vejam as fotos da Professora Anecy, as crianças recebendo os livros:

Caixa de livros viajante

Atacar pessoal!!!

Queremos ver as novidades...

Opa! Esse é legal!

Xiiis!

Férias com leitura é tão bom!

Levar os livros para casa e descobrir novos mundos

Dá gosto ver uma cena como essa.


Quem quiser conhecer um pouco mais da vida e do trabalho da Professora Anecy, pode acompanhar o blog dela, onde ela conta como é o dia a dia na escola rural, mostra as atividades lúdicas que ela faz com as crianças, o processo de alfabetização, as festas, e um pouco da vida dos alunos. Ela também já escreveu esses livros que ela me enviou de presente bem no início das nossas atividades com a Biblioteca do Sítio Vanessa:

A Borboleta Azul, relatos de uma professora rural, a importância de trabalhar na zona rural e o amor à educação

O Alfabeto Dorminhoco, é sobre uma forma lúdica para alfabetizar crianças, que a Professora Anecy pratica com seus alunos

Nesse post da Professora Anecy tem umas informações bacanas sobre as escolas rurais de Morretes (quantidade de escolas e número de professoras). E nessa publicação, ela conta como foi a enchente de março de 2011 em Morretes, assuntos que vieram à tona em nossa conversa com as coordenadoras, crianças e adolescentes da SBEE (Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas). 

Obs.: Ainda temos uma caixa de livros infantis para enviar aos alunos das escolas rurais de Anhaia e Rodeio, para que as crianças possam fazer leituras nas férias, vamos tentar fazer isso até o final do ano letivo, tomara que dê certo!

Fotos das crianças: Anecy Oncken
Fotos dos livros: Juliano Rocha

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Biblioteca do Sítio na SBEE

Fomos convidados pela Maria Inês Müller para visitar a SBEE-Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas, mais conhecido como Centro Espírita do Dr. Leocádio, no bairro Tingui em Curitiba. Ela é uma das coordenadoras dos grupos de estudos espíritas voltados para as crianças e adolescentes que frequentam a SBEE. Assim que as coordenadoras desses grupos de estudos souberam da nossa campanha para arrecadação de materiais esportivos, elas repassaram a ideia para os jovens e crianças participantes, e eles se mobilizaram para conseguir vários materiais esportivos para a Biblioteca do Sítio Vanessa.

Eu e o Juliano junto com as coordenadoras e os participantes 
dos grupos de estudos espíritas da SBEE

Campanha de arrecadação de materiais esportivos
Para quem não lembra, eu publiquei em agosto aqui no blog sobre a minha ideia em reunir livros, revistas e principalmente materiais esportivos para promover algumas atividades para as crianças da Estrada do Anhaia, no Sítio Vanessa, pensando que a maioria dos brasileiros, e as crianças da estrada rural, só irão acompanhar os megaeventos esportivos que ocorrerão no Brasil em 2014 e 2016 através da televisão. Infelizmente a prática dos esportes não é uma realidade na vida de milhares de jovens, e está longe de ser. Ainda que muitas ongs e iniciativas de incentivo estejam lutando em popularizar os esportes, como pudemos acompanhar em debates levantados durante as Olimpíadas, eles ainda são relegados a algo sem importância, sem incentivos ou apoios relevantes na base, quando os pequenos atletas estão iniciando suas trajetórias. Sabemos de escolas nas áreas rurais e também nas áreas urbanas de várias regiões do país onde simplesmente não existem professores e aulas de educação física ou atividades esportivas. E a partir disso tive a ideia de arrecadar materiais esportivos e levá-los para as crianças da Estrada do Anhaia e fazer uma aproximação delas com os esportes, a história das Olimpíadas e da Copa do Mundo.

Segundo a Maria Inês, "o trabalho foi muito gratificante pois oportunizou o exercício da solidariedade e responsabilidade (as doações foram todas higienizadas, costuradas, organizadas pelos jovens), bem como a integração entre os grupos de crianças, pré-adolescentes e adolescentes. No nosso último encontro os grupos escreveram mensagens que acompanharão as doações". 

Visita a Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas e conversa com as crianças e adolescentes

As doações que as crianças e adolescentes juntamente com as coordenadoras da SBEE arrecadaram para nós.

No dia 14/11 eu e o Juliano estivemos na SBEE para receber as doações. Nós fomos muito bem recepcionados pelas coordenadoras dos grupos e fomos convidados a conversar com as crianças e adolescentes que estavam presentes. Nós contamos um pouco da nossa história, sobre como surgiu a ideia de montar uma biblioteca no Sítio Vanessa e sobre como conhecemos o Edemilson, dono do sítio. As crianças nos perguntaram sobre o que o Edemilson achou de ter uma biblioteca dentro da casa dele e se a família dele aceitou bem a ideia de ter uma biblioteca em casa. Contamos também sobre o trabalho do Edemilson, suas preocupações com o meio ambiente e algumas das ações que já vimos ele realizar para proteger os moradores da região do Anhaia, cuidando e alertando a todos sobre a prevenção de desastres naturais. A Dona Josefa também foi bastante citada por sempre aparecer nas fotos lendo e também pelo seu jeitinho que encanta a todos.

Conversas sobre livros, bibliotecas e iniciativas de incentivo à leitura

Tivemos a oportunidade de conversar sobre os eventos que realizamos para as crianças das Escolas Rurais de Rodeio e de Anhaia, a visita da Editora Estronho, falamos sobre o programa de incentivo à leitura da editora e a longa viagem que fizeram de Belo Horizonte até a Estrada do Anhaia.
Falamos bastante sobre o trabalho realizado pela Juliette Fernandes e os livros holandeses, explicamos como ela realiza a tradução e  as colagens que transformam livros holandeses para leitores de língua portuguesa. Contamos um pouco do nosso trabalho junto à Freguesia do Livro e também contamos sobre as realizações da Silvia Buchalla e a Biblioteca Amigo Livro e da Professora Anecy e seus alunos. Falamos da biblioteca que nos inspirou a criar a nossa, a Biblioteca Livre Pote de Mel. Deu tempo para falar um pouquinho de cada um dos projetos que nos motivam.

As crianças da SBEE nos fizeram inúmeras perguntas sobre a vida das crianças moradoras da Estrada do Anhaia, sobre como é o dia a dia delas, se as escolas são próximas umas da outras, como as crianças do Anhaia fazem para chegar até a escola, se elas têm computador em casa, e assim por diante. Conversamos com elas sobre a importância de procurar outros meios para obter informação e conhecimento, além da televisão, e da nossa preocupação para que mais pessoas tenham acesso aos livros sem burocracia, sem precisar fazer cadastro, carteirinha ou apresentar documentos.

Cartinha das crianças e adolescentes da SBEE para as crianças das escolas rurais do Anhaia


Os nomes de todos que produziram a carta

Informações sobre esportes olímpicos e Copa do Mundo produzidos pelo pessoal da SBEE

Após a conversa, as coordenadoras nos entregaram as doações e a carta com as diversas mensagens e perguntas que as crianças e adolescentes dos grupos de estudos escreveram para as crianças das escolas rurais do Anhaia. O material é muito bonito, tem colagem, textos, tem pesquisas sobre a história de diversos esportes, sobre as Olimpíadas e sobre as Copas do Mundo, tem foto do Pelé, do Zidane, do Maradona e muitas perguntas para o Edemilson e para as crianças da Estrada do Anhaia.

Doações: No próximo post colocaremos as fotos de todo o material que as crianças e adolescentes da SBEE arrecadaram, são tabuleiros de xadrez, bolas, chuteiras, camisas de vários times, meiões de futebol, joelheiras, rede de vôlei, roupas e livros. São tantas coisas, que será possível realizar algumas atividades bem legais lá no Sítio para as crianças.

Livraria


Arthur Conan Doyle, criador do Sherlock Holmes foi um grande historiador
do espiritismo

A Maria Inês nos levou para conhecer as instalações da SBEE, e todos os trabalhos que são realizados pela instituição. Lá dentro existe uma livraria maravilhosa, ficamos admirados com os livros de Fritjof Capra sobre Leonardo da Vinci que não conhecíamos. Também tivemos a oportunidade de conhecer o Sr. Alfeu Garcia, que já nos enviou 2 caixas de livros infantis pelo correio. Combinamos com as coordenadoras em montar uma aula sobre o Van Gogh para as crianças e adolescentes e com certeza, muito em breve, uma visita ao Sítio Vanessa para que todos possam conhecer o Edemilson e sua família pessoalmente. Também ganhamos um livro de presente da Maria Inês chamado "A História do Espiritismo" escrito por ninguém mais que Arthur Conan Doyle, o criador de Sherlock Holmes. Vocês sabiam que Connan Doyle foi um grande historiador do espiritismo? Esse foi apenas uma dos conhecimentos que adicionamos à nossa bagagem cultural na SBEE.

Agradecemos imensamente pela hospitalidade do pessoal do Centro Espírita Dr. Leocádio, pelas doações feitas com tanto carinho, pelas mensagens da carta que serão levadas para as crianças da Estrada do Anhaia e pela possibilidade de fazer esse intercâmbio cultural, onde nós conseguimos colaborar com um exercício de solidariedade e as distâncias estão sendo encurtadas. Agradecemos às coordenadoras da SBEE pela grande demonstração de tolerância, pois independente da religião que cada pessoa tem, que ela não seja um obstáculo para compartilhamos conhecimento.
Diante de tantas demonstrações de intolerância que vemos acontecer Brasil afora, é gratificante podermos fazer uma parceria em que possamos crescer juntos. Que ela seja um ponte ligando culturas, costumes e principalmente a solidariedade e o incentivo à leitura.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Bibliotecas do Brasil


Olá pessoal! Faça uma visita ao blog Bibliotecas do Brasil que eu e o Juliano criamos. É um blog para falar de bibliotecas e ideias para bibliotecas comunitárias. Também vamos falar de livros, iniciativas voluntárias, arte, decoração, ideias de artesanato e móveis para bibliotecas comunitárias, reciclagem, lugares para doar livros, dicas sobre como doar livros, informações sobre como separar o lixo para reciclagem, incentivo à leitura, voluntariado, esportes, campanhas de arrecadação de livros, divulgação de atividades culturais e recreativas organizadas por bibliotecas comunitárias, e o que mais nos der vontade de escrever.

Dá uma passada , e conheça nosso blog Bibliotecas do Brasil

domingo, 4 de novembro de 2012

Biblioteca Comunitária e Brinquedoteca na comunidade São Joãozinho em Guaratuba


Os livros no Sítio Vanessa, são bastante emprestados no bairro Cabrestante, 
comunidade rural de Morretes

Através da Silvia, coordenadora da Biblioteca Amigo Livro de Guaratuba, recebemos a notícia publicada no jornal Correio do Litoral, de que alunos da UFPR Litoral reuniram forças para montar uma biblioteca comunitária e uma brinquedoteca para os moradores da comunidade de São Joãozinho, área rural de Guaratuba.

Vamos ajudá-los a divulgar a iniciativa, visto que as comunidades rurais do Brasil não têm acesso à projetos voltados à cultura, e ao incentivo à leitura, e dependem de nós, voluntários, estudantes e pessoas solidárias com iniciativas independentes para começar a fazer algumas mudanças.

Se você tem livros infantis em boas condições de uso e brinquedos, leia a notícia e entre em contato com os estudantes da UFPR Litoral, para ajudá-los nessa ação de solidariedade. Ao compartilhar essa notícia no Facebook, você ajuda mais pessoas a conhecerem a iniciativa =)

* Pedimos a gentileza de que antes de doar livros didáticos as pessoas entrem em contato com os coordenadores do projeto, para ver se eles terão uso para esses livros. Doe livros em boas condições de uso e limpos, para que possam ser imediatamente repassados aos novos leitores.


CONTATO: Os interessados em fazer as doações podem entrar em contato com os estudantes Lucy (41-9600-3708) e Juliano (41-9911-7982) ou enviar email para comunidadesaojoaozinho@gmail.com
As doações serão recebidas até dia 20/11.

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Intercâmbio de livros entre Holanda e Brasil!

Lembram dos livros holandeses transformados em livros de língua portuguesa para leitores brasileiros? Os livros holandeses que nossa amiga Juliette Fernandes pacientemente traduz, imprime, recorta e cola a tradução sobre as palavras holandesas, transformando-os em livros para leitores de língua portuguesa.  Vários desses livros já foram levados para Morretes por nós (Daniele e Juliano) juntamente com o Edemilson Pereira, para a Estrada do Anhaia, para serem emprestados entre os alunos da Escola Rural de Anhaia e para a Escola Rural de Rodeio, e a gente espera que eles estejam sendo bem aproveitados pelas crianças. =)

Eu vou tentar conseguir através do Edemilson um retorno por parte das nossas amigas professoras lá das escolas rurais, para ver se as crianças estão emprestando os livros, levando para casa e devolvendo, para a Juliette ter uma ideia da abrangência do trabalho dela.

Na foto a gente pode conferir a nova leva de livros que a Juliette enviou para o Brasil, com a a colaboração das meninas do blog "Entre Mulheres e Letras". Elas pagaram o envio da caixa de livros da Holanda para o Brasil. Agradecimentos especiais à Clarissa Mattos, Norma Figueiredo, Simone Strijk, Fernanda Castro Desiree Vermeer, Malka Campos e Juliette Fernandes, sem essa união, não seria possível que os livros chegassem à leitores  tão distantes da Holanda.

O "Entre Mulheres e Letras" é o blog de um grupo de brasileiras que se reúnem a cada 3 meses para trocar livros e conversar. Como a Juliette nos contou, nestes encontros elas acabam conhecendo outros autores e pegando livros que nunca imaginaram ler, só por conta do entusiasmo que alguém descreve a história ou fala do autor. Recentemente elas participaram da Feira do Livro de Frankfurt (a maior e mais importante feira do setor editorial mundial). Elas são de várias cidades da Holanda - Utrecht, Rotterdam, Arnhem e Zundert. Existe uma página no Facebook para quem quiser conhecê-las.

Nós vamos receber uma parte desses livros para doarmos à um local apropriado, respeitando as seguintes palavras da Juliette: "Como são livros de capa dura, impermeabilizados que permitem, inclusive, serem limpos com paninho úmido e como passaram por um processo de tradução, colagem e muito amor (mas da trabalho)…gostaria que eles ficassem em algum lugar fixo (alguma instituição)".

Abrimos mão da última leva de livros holandeses que a Juliette enviou há alguns meses, porque não tínhamos um local certo para doarmos, e a gente não queria que os livros ficassem parados na nossa sala, sem uma destinação correta, então deixamos a nossa parte com a Freguesia do Livro. Mas dessa vez temos dois possíveis locais em vista, será muito bacana fazer essa intermediação.

Para aqueles que estão se iniciando no mundo dos livros agora, é bom saber que sem a orientação de um adulto, uma criança um pouco menor e curiosa poderia arrancar dos livros os adesivos que cobrem as traduções, e correria o risco de estragar o livro. Mas se bem cuidados, a Juliette tem certeza de que eles vão durar mais uma década.



Gosto muito desse pensamento da Juliette: "(...) livro não é brinquedo e se a criança não sabe ler direito vai usar aquilo como brinquedo, vai estragar e logo perde o interesse. O objetivo é fazer a criança amar os livros, ler e conservá-los...ainda mais os holandeses que dá um trabalho danado para traduzir, colar, adesivar (ocupa muito do meu tempo)."

E livros conservados podem ser reutilizados no futuro por mais e mais crianças. É legal que os pais que oferecem livros aos filhos, ensinem também a preservá-los desde pequenos, ao invés de dar canetinhas, giz de cera e lápis de cor, ensinando assim desde criança, o pensamento sustentável, sem desperdício. Para isso existem as revistas e livros de colorir, inclusive muitas já vem com lápis de cor. É legal mostrar para as crianças pequenas essa diferenciação, o livro que serve para colorir e o livro que serve para leitura. Ah, outra coisa: doar livro rabiscado e rasgado para outro leitor ou para bibliotecas comunitárias é deselegante.

Nos sentimos bastante lisonjeados em poder receber esses livros que são tão cuidadosamente transformados, com tanto trabalho e carinho para novos leitores. Você pode ver a entrega dos livros holandeses para as crianças das escolas rurais (Escola Rural Municipal de Rodeio e Escola Rural Municipal de Anhaia) nos seguintes posts:


A história dos livros holandeses encontra-se em "Da Holanda para a Estrada do Anhaia". Clique na tag "livros holandeses" e você fica sabendo um pouco mais sobre eles.