quarta-feira, 4 de julho de 2012

Horta Orgânica no Sítio Vanessa


Com a intenção de ter um atrativo a mais no Sítio Vanessa para os visitantes, e também de manter uma fonte opcional de alimentos saudáveis, Edemilson Pereira, dono do Sítio Vanessa está começando a implantar uma horta orgânica por lá. A ideia do Edemilson sempre foi a de adaptar o Sítio Vanessa para as práticas sustentáveis, e a criação de uma horta de orgânicos é a consequência desse pensamento que move o Edemilson.

Sítios com hortas orgânicas são lugares muito agradáveis para visitar. Antigamente os agricultores de regiões rurais não estavam acostumados a receber turistas e visitantes querendo conhecer a  plantação, ou saber como funcionam todas as etapas da montagem de um canteiro de hortaliças, mas nos últimos tempos esse pensamento tem mudado.


Existe um movimento que é bastante difundido fora do Brasil, mas que aos poucos está ganhando espaço em território nacional, é o WWOOF - "World-Wide Opportunities on Organic Farms" ou em bom português, "Oportunidades Mundiais em Fazendas Orgânicas". É uma rede livre de pessoas interessadas e reunidas em torno do trabalho voluntário em fazendas e comunidades produtoras de alimentos orgânicos. As fazendas que têm vagas para receber voluntários são cadastradas com todas as suas informações nessa rede. Os voluntários que estão disponíveis para trabalhar nessas fazendas se cadastram no site para receber a lista daqueles que facilitam a colocação desses voluntários para trabalhar em suas fazendas orgânicas. O cadastro com as informações sobre as fazendas e comunidades orgânicas é pago.

Os praticantes de wwoof são chamados de "woofers", e em troca de hospedagem e alimentação, oferecem ajuda (trabalho braçal) nas plantações de hortaliças orgânicas em fazendas produtoras ou chácaras com certificação para comercialização de alimentos orgânicos. Algumas fazendas além da hospedagem oferecem educação ambiental para os woofers, e em muitas os proprietários são praticantes de vegetarianismo.


Uma matéria muito interessante sobre a experiência de uma jornalista de 28 anos, fazendo wwoofing pela Europa pode ser lida na Revista Piauí na matéria "Em Busca de Raízes Orgânicas" (Edição 49, Outubro de 2010).

WWOOF no Brasil: muitas chácaras de alimentos orgânicos já estão por dentro desse movimento, e oferecem vagas em suas propriedades para pessoas que estejam dispostas a trabalhar na terra. Além do trabalho nas hortas, em algumas chácaras existe a prdução de leite, queijos e laticínios oriundos de gado e caprinos, então o voluntário deve ir preparado para trabalhar também com animais. Cada fazenda ou chácara cadastrada no site informa o período de tempo que pretende receber os voluntários, e dá uma ideia sobre quais as atividades que ele irá realizar, quantas pessoas moram no local, quais os produtos que eles desenvolvem, e quais as comodidades que ele terá acesso durante a hospedagem (se existe linhas telefônicas no local, chuveiro com água quente, cozinha ou banheiro coletivos, bicicleta para transporte, o tipo de comida que o voluntário terá acesso, quantas horas terá que trabalhar por dia, quais serão os dias de folga, etc). Geralmente o acesso à internet é luxo. O voluntário que se candidata a ser woofer em uma fazenda deve estar atento para o fato de que o trabalho é voluntário, e isso significa que ele não será remunerado em dinheiro, ou outros valores.

O wwoof é uma troca: trabalho em troca de comida e hospedagem, e a oportunidade de viajar, trabalhar diretamente na terra, em uma chácara, fazenda ou comunidade produtora de alimentos orgânicos. Aqueles que já tiveram a oportunidade de fazer wwoof dizem que a experiência é incrível, e recomendam à todos que estão com vontade de viver a vida mais voltada para a terra.

wwoof no Facebook

Fotos: Juliano Rocha

0 comentários:

Postar um comentário