segunda-feira, 25 de junho de 2012

Transporte Solidário de Livros, procura-se viajantes!

Você viaja? Ajude a transportar doações de livros!


A Freguesia do Livro projeto voluntário iniciado em Curitiba, está montando pequenas bibliotecas em diversos lugares do Brasil. Por ser uma iniciativa totalmente voluntária, depende da colaboração participativa das pessoas para que os livros possam chegar aos seus destinos. Se você é um viajante interessado em fazer transporte solidário entre em contato com a Freguesia.

Empresas de transporte, organizações que fazem carretos, pessoas que sempre estão viajando de Curitiba para algum outro canto do Brasil e que são simpáticos à ideia da difusão da leitura, poderão colaborar com o projeto “Transporte Uma Freguesia” na entrega de pequenas caixas de livros, que ocupam pouco espaço. Se você costuma viajar sempre de Curitiba ou da região metropolitana para outros lugares do Brasil, e está disposto a levar uma pequena caixa com livros para ajudar outras pessoas a iniciarem suas bibliotecas, entre em contato com a Freguesia do Livro.


Com a ajuda de voluntários interessados em transporte solidário a Freguesia já conseguiu enviar caixas de livros para as seguintes cidades: Andaraí no Rio de Janeiro, Guaratuba, Morretes, Palmeira, Ponta Grossa, Pato Branco e Pinhalão no Paraná, Porto Velho em Rondônia, e Belo Horizonte em Minas Gerais. Entre no blog da Freguesia do Livro e saiba mais detalhes sobre o projeto Transporte Uma Freguesia, ou escreva para fregues@freguesiadolivro.com.br

Texto publicado originalmente no blog  Livros e Afins.

(Dani Carneiro - bibliotecadositio@gmail.com)

terça-feira, 19 de junho de 2012

Estantes rústicas

Feitas com material reciclado, reutilizado, com móveis antigos restaurados, com madeira de demolição, ou de áreas reflorestadas, essas estantes e prateleiras de madeira são algumas ideias para aqueles cantos da casa onde você quer guardar seus livros. Recicle materiais, recupere móveis antigos, reutilize estantes de madeira, caixas de plástico, mesas antigas, caixas de feira e pallets. Libere sua criatividade e monte sua biblioteca.


Recycled furniture
Caixas de madeira reutilizadas


Elm Shelves and Concrete Counters
Prateleiras de madeira de demolição na cozinha, lugar especial para os livros de culinária e gastronomia


Bedroom
A parede inteira do quarto com prateleiras de madeira


life in san francisco
Madeira e plantas num cantinho de leitura em casa


green shelves
Uma biblioteca dentro de casa


Forest Lodge Library Kid's Area
Madeira de demolição, reutilizada


Fish Crate Shelves
Caixas de feira são ótimas para montar pequenas estantes de livros


wall-shelves.jpg
Em um cantinho no quarto


É possível cobrir uma parede inteira com caixas de madeira (de feira) para montar uma estante de livros


Mais madeira reutilizada


Mini prateleira feita de pallets


Um móvel antigo restaurado vira mini-biblioteca


books
Caixas de plástico e tábuas de madeira, mistura de materiais reutilizados


Book Crates
Caixas de madeira se transformam numa grandiosa estante de livros

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Pequenas bibliotecas fora dos grandes centros: você pode montar uma.

Comunidades rurais e regiões afastadas dos grandes centros urbanos podem agora montar suas próprias bibliotecas com a ajuda da Freguesia do Livro.

Você mora em uma pequena comunidade rural? Ou  tem uma chácara no meio do verde?  Sua casa está afastada dos grandes centros urbanos? A sua comunidade tem uma biblioteca ou acesso a livros? A região onde você mora possui uma biblioteca com fácil acesso aos livros num raio de 3 km ? Se você respondeu sim para a primeira pergunta e não ou “mais ou menos” para as demais, essa notícia vai lhe interessar.

Caminho do Vinho, área rural de São José dos Pinhais/PR, local simpático para um ponto de leitura.

Nós estamos procurando pessoas interessadas em abrir pequenas bibliotecas em localidades rurais, regiões metropolitanas e locais afastados dos grandes centros urbanos. Observe se na sua região ou comunidade existe a presença de livros com acesso facilitado aos moradores. Perceba se existem livros à disposição das crianças, dos adolescentes, dos jovens, do pessoal da terceira idade. Se perceber que essa necessidade existe, com a ajuda da Freguesia do Livro você poderá colocar livros nas mãos de muitas pessoas, potenciais leitores.

O que é a Freguesia do Livro?

A Freguesia do Livro é um projeto voluntário de pessoas que amam a leitura e se organizaram para montar pequenas bibliotecas em lugares improváveis, para facilitar o acesso aos livros. A proposta é arrecadar livros de pessoas que tenham exemplares esquecidos nas estantes, entrar em contato com pessoas que tenham a vontade de iniciar bibliotecas de empréstimo livre em suas comunidades e as ajudar a começar do zero, fazendo esse intercâmbio entre aqueles que querem doar e os que querem iniciar suas bibliotecas. A Freguesia também ajuda bibliotecas que já estão montadas, trilhando sua trajetória, aprimorando seus acervos com a doação de mais livros.

Quero montar uma biblioteca, como faço?

Caixa da Freguesia do Livro, entre 40 e 60 livros para iniciar uma biblioteca gratuitamente

A primeira coisa a se fazer é arranjar um local para a montagem da biblioteca, um espaço para colocar uma caixa de feira reciclada da Freguesia com uma quantia inicial entre 40 e 60 livros que combinam com o perfil da comunidade para onde vão. Se for do interesse da pessoa que montar a pequena biblioteca, incluímos na caixa revistas, jornais literários, enciclopédias, folhetos educativos e todo material necessário à educação, informações sobre os mais diversos assuntos e boas leituras.

Onde posso colocar a minha biblioteca?

O local que receberá a caixa pode ser um centro comunitário, a associação de moradores, uma mercearia, um armazém, uma padaria, uma barbearia ou salãozinho de beleza, o ateliê de uma costureira, uma pequena loja de 1,99, etc. O local precisa ser frequentado ou visitado pelos moradores da região, onde as pessoas venham periodicamente, ou que receba uma concentração de moradores e visitantes, como o quiosque de uma quadra de futebol, uma lanchonete, a área de lazer de uma chácara ou sítio aberta ao público, a recepção de uma pousada ou de um camping, a área comum de hotéis ou de um pesque-pague, o salão de uma igreja, uma horta comunitária, uma vinícola e assim por diante. É importante que exista a circulação de pessoas. Veja aqui, aqui e aqui, alguns exemplos de bibliotecas nesses moldes que já existem.



Dá muito trabalho?

O bonito dessa proposta é que os livros devem circular, sem cobranças, multas e prazos. Só na confiança. Biblioteca livre é aquela que pede que o leitor leia e depois devolva ou passe adiante. Ou seja, não dá trabalho ao responsável pela pequena biblioteca. E produz uma grande satisfação por estar incentivando a leitura. Nesse post, algumas dicas.



Mas, eu já tenho uma biblioteca...

Biblioteca Amigo Livro no Balneário Nereidas em Guaratuba, litoral do PR,
idealizada por Silvia Buchalla, já recebeu livros da Freguesia

Pode até ser um local onde já exista uma biblioteca com poucos recursos e poucos livros no acervo. A Freguesia do Livro ajudará a incrementá-lo, enviando livros infantis, livros para adolescentes, livros de autoajuda, enciclopédias, gibis, enfim, os livros necessários para o perfil do público que já frequenta o local.

E quanto custa?

O mais importante é que a pessoa que solicitar a caixa da Freguesia do Livro não pagará nada por ela. A Freguesia do Livro é um projeto voluntário, e não cobra para montar essas pequenas bibliotecas. Queremos apenas o compromisso da pessoa em manter a biblioteca ativa e os livros circulando.

Você se animou com a ideia de montar uma biblioteca em sua comunidade ou ampliar uma que já existe?

Entre em contato através do e-mail fregues@freguesiadolivro.com.br e faça também o seu cadastro no blog da Freguesia do Livro.


Fotos: Juliano Rocha / Josiane Bibas

sábado, 9 de junho de 2012

Modelos de bibliotecas rústicas

O post que publiquei sobre bibliotecas rústicas teve uma numerosa visitação. Já que a ideia é bacana, e inspira muita gente a colocar no papel seu projeto de biblioteca, vamos publicar alguns posts com fotos de cabanas, gazebos, casinhas de madeira, celeiros, quiosques, vagões de trem, contêineres, edificações de madeira, material reciclável e reutilizado, móveis, estantes e prateleiras que podem compor e decorar uma biblioteca nesse estilo. Uma biblioteca rústica, sem formalidades, com empréstimo livre pode ser montada em vários lugares, é só deixar a criatividade solta: pode ser no gramado de casa, no quintal, em um pátio ocioso, numa praça, em uma fazenda, em um sítio, numa chácara. Pode até ser implantada em uma pousada,  em um pesque-pague, em um hotel-fazenda ou num resort como opção de lazer para os hóspedes. Essas casinhas de madeira têm aparência e potencial de biblioteca.


Essa casinha de madeira parece uma biblioteca perfeita!

community library Point O Woods
Que tal uma casinha de boneca que oferece algo a mais para as crianças?!

IMG_3665e
Ocupa pouco espaço no gramado, próximo aos varais de roupa

Garden Cabin Blue
O jardim parece o lugar ideal para uma biblioteca!

garden shed
Localizada estrategicamente no pátio

The cabin from Level 3, VUW Library
Contêiner de madeira, uma biblioteca maravilhosa! 

 Com deckzinho frontal e tela mosquiteira!

Garden Cabin With Patio
Azul, com deck e espreguiçadeiras para relaxar, bem verão!

Douglas Shed - Log Shed
Pouco espaço utilizado no gramado

Chinon Garden Cabin
Com varanda, apenas aguardando os livros e os leitores!

Pequena e simples, ocupa pouco espaço, mas cabem muitos livros.

My Hut
Construída com troncos, de aparência bem rústica, colorida, com cadeira de balanço e banco para leitura

Linda, charmosa, repleta de plantas para não destoar da paisagem

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Experiências

Desde que iniciamos a Biblioteca Comunitária Sítio Vanessa em 23 de junho de 2011, juntamente com nosso parceiro de projeto, o Edemilson Pereira, entramos em contato com pessoas dos mais variados lugares, interessadas em montar bibliotecas, em ajudar com doações de livros, e colaborar conosco de alguma forma. A ideia inicial era a de levar livros para pessoas que não têm acesso facilitados à bibliotecas, onde não há sequer a existência de uma biblioteca.

Conforme a biblioteca foi crescendo, nós resolvemos ampliar as atividades dela. Fizemos dois eventos bem sucedidos voltados para as crianças das escolas rurais da Estrada do Anhaia. Um deles foi o 1º Passeio Educativo da Biblioteca Sítio Vanessa, onde proporcionamos uma visita ao Sítio, agregada à uma aula de educação ambiental, e apresentação do acervo da biblioteca para as crianças. Nesse evento reunimos 22 pessoas (sendo 15 crianças). Foi algo totalmente inédito, que fizemos por iniciativa própria. Já existia uma vontade por parte das crianças das escolas rurais em visitar o Sítio Vanessa, e também por parte do Edemilson, em levar o pessoal para conhecer o Sítio. Foi uma atividade bem diferente do que elas estão acostumadas a fazer, e marcou muito na memória delas.

Professora Sirlei e as crianças conhecendo os livros da Biblioteca do Sítio Vanessa

Crianças das escolas rurais lendo no Sítio Vanessa

Tive a oportunidade de constatar isso 7 meses após o passeio educativo, quando a Editora Estronho  de Belo Horizonte nos contemplou com seu projeto Estronho Social, e a possibilidade de levar autores de livros infantis e de literatura fantástica para conhecer as crianças, e realizarmos um Bate-Papo Literário na Estrada do Anhaia. O evento envolveu 54 crianças do pré até a 5ª série. Muitos alunos vieram me procurar para contar os motivos de não terem participado do passeio. Eles me explicaram em tom chateado os motivos por não terem ido, mas já sorriam na sequência contando que o irmão, a irmã ou os primos foram, e que gostaram bastante do Sítio Vanessa. Muitas perguntaram quando seria o próximo passeio, e se iria demorar para acontecer novamente.


Celly Borges, Wendyl e Marcelo Amado (Editora Estronho)

Livros holandeses doados por Juliette Fernandes

Imagine se a gente resolvesse colocar no papel todas as áreas rurais do Brasil, que assim como a Estrada do Anhaia, ainda não receberam um projeto ou uma oportunidade de levar atividades culturais para as suas crianças.

O que fizemos foi tão pequeno, mas que estava ao nosso alcance, e eram coisas que nunca haviam sido feitas. Nos orgulhamos de ter essa oportunidade, de ter esse contato com a comunidade, com as crianças e com as professoras, conversar sobre leitura, mostrar para elas esse mundo da literatura e dos livros, que tanto nos encanta. O que fizemos foi tão simples. Simples como o acesso aos livros DEVERIA SER no nosso país.

Dona Josefa e gatinho
Nós não temos nenhum envolvimento com partidos políticos, igrejas, sindicatos, nada. Fizemos a biblioteca por conta própria, fizemos porque demos sorte em encontrar alguém como o Edemilson, pessoa de mente aberta, um cara agregador sempre preocupado com os problemas da comunidade. Junto do Edemilson a possibilidade de criar a biblioteca tornou-se realidade, ele nos permitiu criá-la em seu Sítio, em fazê-la existir. Fizemos isso porque somos leitores, porque amamos a leitura, e acreditamos que com o incentivo à leitura é possível formar pessoas mais preparadas para a vida.

Durante esse ano, muitas coisas boas aconteceram a partir da Biblioteca do Sítio Vanessa. Nós estreitamos laços com a Freguesia do Livro, biblioteca montada na Vila Zumbi, por Josiane Bibas e Ângela Marques, que desde a criação da Biblioteca do Sítio, nos ajudaram com numerosas doações de livros infantis e de literatura. Quando a Freguesia do Livro tomou novos rumos e virou um movimento literário, a Jô e a Ângela incluíram eu e o Juliano no projeto. Hoje somos Freguesia do Livro e Biblioteca Comunitária Sítio Vanessa. Fazemos parte e colaboramos com os dois projetos, e colaboramos também com quem mais estiver precisando de ajuda para montar bibliotecas comunitárias e bibliotecas livres.Vemos essas colaborações (seja no contato diário, no contato eventual, na publicação de conteúdo através dos blogs e das redes sociais, fazendo a divulgação de outros projetos) como uma agregação de forças e de pessoas em torno da ideia e realização da difusão dos livros e da leitura.

Quanto mais pessoas aderirem aos projetos de incentivo à leitura, à prática dos livros-livres, à criação de bibliotecas comunitárias que deixam os livros à disposição das pessoas sem burocracia, aos livros ao alcance das mãos em comunidades afastadas, em lugares improváveis, no local de trabalho das pessoas, melhor!!!



Edemilson
A leitura transforma as pessoas, gera autonomia, liberdade, independência. A presença de uma biblioteca comunitária gerida pelos próprios moradores de uma localidade torna a comunidade mais forte, mais capaz, mais independente, mais atuante, mais consciente de seus direitos e de seus deveres. Temos observado isso desde que iniciamos a Biblioteca do Sítio. Pessoas que não se conheciam ou estavam fora de contato há muitos anos se reencontraram por causa da biblioteca, e juntas puderam ter várias ideias ainda mais empreendedoras em relação à educação, e ao incentivo à leitura.

Dona Benedita, Matilde, Dani pesquisando projetos  nas revistas de artesanato

Daiane, leitora assídua

Dona Josefa e Maria, mãe e filha fazem leituras no final de tarde um domingo de inverno
Leitores visitantes

Nós conquistamos muitos leitores, pessoas que passaram a fazer da leitura parte de sua rotina, através de livros, revistas, enciclopédias para pesquisas. Nós recebemos pedidos de livros, levamos muito material para o Sítio Vanessa. O acervou que iniciou com 30 livros de nossa própria estante, virou um acervo imenso com mais de 1000 livros das estantes de muitas e muitas pessoas que doaram, e colaboraram com a Biblioteca do Sítio. Literatura, Jornalismo, História, Filosofia, Meio Ambiente, Arte, livros infantis, livros para adolescentes, educativos, há muito material para ser pesquisado, para fazer trabalhos escolares, acadêmicos, e também para a leitura recreativa.

No dia 23 de Junho a Biblioteca Comunitária Sítio Vanessa completará um ano. Nesse período, nós constatamos que há muito interesse pela leitura na Estrada do Anhaia, que há vontade da comunidade para receber pessoas voluntárias capazes de realizar atividades culturais, e organizar eventos recreativos, pedagógicos, voltados para a iniciação no mundo dos livros e ao incentivo à leitura. Há espaço para ações a serem executadas no campo cultural, literário, recreativo, pedagógico, ambiental. Só precisa começar a ser feito. Uma das coisas que observamos é que é urgente que as crianças tenham acesso à atividades contra-turno.

Escola Rural Municipal de Anhaia
Faz muita falta ter um espaço físico (uma sala, uma casa, uma garagem) organizada e dedicada à atividades culturais para as crianças e jovens do Anhaia, e também pessoas capacitadas e engajadas para o desenvolvimento de atividades semanais, quinzenais ou mensais para colaborar com a formação dessas crianças. A comunidade precisa de um lugar físico onde essas crianças possam fazer as atividades contra-turno, de voluntários capacitados para passar atividades para elas. E também precisa de um projeto que se estabeleça e tenha continuidade, para que as crianças não fiquem sem atividades no meio de sua formação.  Mas há potencial para ser feito um trabalho social muito grande por lá. Vejam como biblioteca não é apenas livros e leitores, é comunidade, é contato, é agregação de ideias, é tentar encontrar soluções para problemas (ou defasagens) que existem na educação do Brasil.


A Biblioteca Comunitária do Sítio Vanessa agora está voltada para a ampliação da biblioteca, como já foi comentado aqui no blog. Nós estamos abertos à ideias, a colaborações, a encontrar pessoas que sejam agregadoras, e que queiram colaborar de alguma forma. Se você estiver interessado, mande um email dizendo com que tipo de atividade, ideia ou material gostaria de ajudar para Dani Carneiro - email: bibliotecadositio@gmail.com

Para visitar a Biblioteca Comunitária do Sítio Vanessa, localizada no final da Estrada do Anhaia, s/nº, na entrada do Parque estadual do Pau Oco, Morretes/PR, entre em contato antecipadamente com o Edemilson Pereira através do email sitiovanessa@hotmail.com, para marcar a data da visita e horário. A visita para pessoas de fora da comunidade deve ser feita nos finais de semana, devido à disponibilidade do Edemilson.

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Biblioteca Rústica

Nosso amigo e parceiro de projeto, o dono do Sítio Vanessa, Edemilson Pereira está procurando ideias para ampliar a biblioteca. Quando um projeto alcança o tamanho que alcançou a Biblioteca do Sítio Vanessa (acervo com cerca de 1000 livros, e eventos literários proporcionados à comunidade, onde antes não existia esse tipo de atividade cultural), é natural que os moradores, parentes, amigos e colegas, a comunidade em geral, comecem a pensar em que "cara" a biblioteca poderia ter, assim que ela sair da sala da Dona Josefa, e for remanejada para algum outro lugar dentro do Sítio Vanessa, para que possa ser ampliada. Todo mundo sente vontade de opinar e opina um pouquinho. Eu vou deixar aqui algumas ideias e imagens do que pensamos que seria bem bacana colocar em uma biblioteca com os aspectos da Biblioteca do Sítio Vanessa: estrada rural, natureza exuberante, pessoas interessadas em sustentabilidade, solidariedade, raízes muito voltadas para a preservação ambiental, eventos voltados para o incentivo à leitura e preservação do meio ambiente, comunidade mais unida, pessoas reunidas em torno de um objetivo: o acesso aos livros...

Caixas de feira
Essas caixas de feiras utilizadas como estantes são bem simpáticas, num espaço pequeno servem para abrigar uma boa quantidade de livros e revistas

A Biblioteca Comunitária do Sítio Vanessa iniciou sua história com 30 livros que reunimos de nossa própria estante, e algumas enciclopédias. Achamos que a caixa de feira é o símbolo de algo que começa pequeno, com poucos volumes, e vai aumentando com a solidariedade das pessoas que doaram de suas próprias estantes, seus livros para um acervo imenso, hoje com quase 1000 livros (pouco mais de 700 que doamos, e os demais que foram levados pessoalmente até o Sítio por outros simpatizantes da nossa iniciativa).

Edemilson Pereira e a caixa de livros que iniciou
o acervo a Biblioteca do Sítio Vanessa
Essa imagem do Edemilson segurando a caixa de feira com os livros que doamos para iniciar a Biblioteca Comunitária Sítio Vanessa é muito marcante, representa transformação, mudanças para melhor, valorização da comunidade, encontro, amizade, fortalecimento, e o mais importante, que é o foco do nossa iniciativa: mais pessoas com acesso aos livros, mais gente lendo.

Estantes de madeira com material reciclado ou de demolição

Uma opção interessante é montar estantes com madeira reciclada ou de demolição. Hoje em dia é mais fácil ter acesso a esses materiais, porque as pessoas estão mais conscientes da importância e urgência da preservação ambiental, e da reutilização de materiais. A prática do lema "reduza, recicle, reutilize" já é seguida no Sítio Vanessa. Com a ajuda dos amigos e visitantes, poderíamos reunir madeira de pallets e de demolição para montar as estantes. Uma biblioteca construída com a ajuda e solidariedade de todos, fortalece laços e renova as possibilidades de ação da comunidade. Sempre tem alguém que tem uma madeirinha, um móvel antigo encostado, eles poderiam agora ganhar um novo uso e fazer parte da ampliação da biblioteca.

Um dos talentos do Edemilson é a arte de criar edificações com bambu. Ele constrói gazebos de bambu com muita facilidade. Esses gazebos abrigam os visitantes durantes as confraternizações com amigos e parentes, almoços, festas e reuniões importantes. Também já serviram para a realização de nossos eventos literários.

A estrutura da edificação de bambu construída pelo Edemilson

Essa edificação foi construída pelo Edemilson para as confraternizações de amigos, parentes e pessoas da comunidade

Portal de entrada do Sítio Vanessa construído pelo Edemilson

Entrada do Sítio Vanessa
Uma das ideias que tivemos que seria muito interessante, e casaria bem com a identidade visual do Sítio Vanessa, é a construção de um gazebo de bambu para ser a biblioteca. Esses gazebos são muito práticos, protegem da chuva, abrigam facilmente várias pessoas, como pudemos constatar no nosso 1º Passeio Educativo. Com uma boa iluminação direcionada para a leitura, imaginamos que seria uma biblioteca perfeita, exatamente com a cara do Sítio Vanessa. Poderíamos pensar um jeito de fechar esse gazebo nas laterais, protegê-lo, com madeira, toldos ou lona grossa. Existem várias possibilidades de material para fechar as laterais, e usos ilimitados para a área sob o gazebo. A área de uso do gazebo poderia ser utilizada para oficinas de colagem, rodas de leitura, contações de histórias, encontro com escritores, palestras educativas, encontros com profissionais de várias áreas, debates e tantos outros eventos voltados ao incentivo à leitura, educação e preservação do meio ambiente. Os empréstimos de livros passariam a acontecer ali mesmo, sob o gazebo de bambu, e integrar a comunidade ainda mais a biblioteca.

1º Passeio Educativo da Biblioteca do Sítio: a apresentação do acervo e o empréstimo
de livros ocorreram numa das edificações construídas pelo Edemilson
Com algumas adaptações para o revestimento do chão, e fechamento das laterais, o gazebo de bambu criado pelo Edemilson já parece uma simpática biblioteca para nós.