sábado, 25 de fevereiro de 2012

Parceria entre a Biblioteca do Sítio Vanessa e Editora Estronho

Marcelo Amado da Editora Estronho de Belo Horizonte entrou em contato comigo essa semana para falar sobre o programa de incentivo à leitura chamado "Estronho Social", onde 5% da receita líquida da editora será convertida em exemplares para doação. As doações segundo Marcelo serão feitas para bibliotecas comunitárias, creches e qualquer entidade que incentive a leitura. Foi pedido então através do site da Editora Estronho que os leitores indicassem algumas instituições.

Um dos compradores assíduos da editora disse ter visto uma reportagem sobre a Biblioteca Comunitária Sítio Vanessa, e indicou a biblioteca ao passar o nosso blog e o contato de email (bibliotecadositio@gmail.com) ao Marcelo. Ele visitou nosso blog e gostou bastante do trabalho realizado no Sítio Vanessa. Seremos então a primeira biblioteca a receber a doação do projeto "Estronho Social", e informações mais detalhadas sobre a primeira doação podem ser lidas nesse link.

No final de Abril/2012 a Editora Estronho realizará alguns eventos literários em São Paulo, Curitiba e Porto Alegre e agora Morretes entrou no itinerário. A equipe da Editora Estronho irá conhecer a Estrada do Anhaia e visitar o Sítio Vanessa. A Editora Estronho possui um veículo plotado que chama a atenção das pessoas, principalmente de crianças, que adoram as caveiras e monstros desenhados nas laterais do carro. Chama-se "Estronhomóvel".

Vamos agora acertar os detalhes da realização do evento, a visita do pessoal da Editora Estronho com o "Estronhomóvel" e um bate-papo com a escritora Celly Borges na entrega dos livros no Sítio Vanessa. Na ocasião, a autora do primeiro livro infantil que a Editora Estronho está lançando, irá conversar com as crianças e leitores da Biblioteca do Sítio Vanessa sobre literatura infanto-juvenil e autografar exemplares do seu livro "Em Busca do Arco-Íris de Sonhos", que serão doados à comunidade, juntamente com outros títulos da Estronho e Selo Fantas.

Diante de tantas informações e novidades, agradeço imensamente à pessoa que deu o nosso contato como referência de biblioteca engajada no incentivo à leitura ao Marcelo, editor da Estronho.  Muito obrigada. Isso é uma motivação à nossa biblioteca e para outras pessoas que se sentirem inspiradas a montar uma biblioteca livre, uma biblioteca comunitária, ou uma biblioteca para pessoas que não tem acesso ou tanta facilidade para comprar livros. Acredito que o fato de uma editora destinar livros novos à bibliotecas comunitárias é uma ideia e um desejo que se passa pela cabeça de muitas pessoas que articulam bibliotecas independentes. Essas parcerias devem ser incentivadas, fortalecidas e mantidas. E nós queremos esses livros!


Alunos das escolas rurais municipais de Anhaia e Rodeio em evento realizado pela Biblioteca Comunitária do Sítio Vanessa

Obrigada ao pessoal da Editora Estronho. Tenho certeza de que essa ação é inédita na Estrada do Anhaia, e que será muito proveitosa aos leitores e para as crianças que participarem, eles serão os grandes beneficiados dessa ação. Será uma diversão acima de tudo. E relacionar leitura com diversão é conquistar leitores fiéis, despertar o interesse desses novos leitores para infinitas possibilidades de crescimento pessoal através da leitura.

Peço a gentileza que os leitores e amigos da Biblioteca do Sítio acessem esse link para conhecer melhor as atitudes sustentáveis que a Editora Estronho está tomando em relação aos seus produtos .

Um abraço à todos e boas leituras! Visite nosso Facebook e nosso álbum de fotos no Flickr.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Carimbo da Biblioteca

Quando iniciamos a Biblioteca do Sítio Vanessa, primeiramente selecionamos 30 livros de nossa própria estante para o projeto. Em seguida pensamos num carimbo com orientações de uso da biblioteca, cuidados com os livros e instruções de empréstimo para os leitores, como o carimbo da Biblioteca Pote de Mel . Carinhosamente chamada de "Bibliopote", ela é uma biblioteca livre que funciona dentro de uma padaria no centro de Curitiba, e que nos serviu de modelo desde o início para começarmos a Biblioteca do Sítio Vanessa. O carimbo é importante para que o leitor que está com os  livros em mãos sempre tenha em mente o sistema de funcionamento da biblioteca.


Assim como o carimbo da Bibliopote nos serviu como modelo, espero que o nosso carimbo também sirva como inspiração para as pessoas que estão pensando em montar uma biblioteca livre e/ou comunitária. No nosso caso nós adaptamos o carimbo para as mensagens que eram mais importantes passar aos leitores, dentro de nossas perspectivas. Redigimos as seguintes orientações que são carimbadas em todos os livros encaminhados ao Sítio Vanessa:


1. Esse livro faz parte do acervo da Biblioteca Comunitária Sítio Vanessa

2. O livro pertence à comunidade. Fique com ele o tempo necessário para sua leitura e cuide como se fosse seu.

3. Por gentileza não escreva, não rabisque, não use marcador de texto nesse livro para que o próximo a emprestá-lo tenha uma leitura tão agradável quanto à sua.

4. Se encontrar esse livro em uma biblioteca particular, faça-o circular, leia, empreste para alguém que ainda não leu ou devolva para a Biblioteca do Sítio Vanessa.

5. Traga o livro de volta, assim você poderá emprestar outro.

6. Conte para alguém que você gosta sobre o que leu nesse livro e que todos podem conhecer e emprestar livros na Biblioteca Comunitária Sítio Vanessa.

*
Visite nosso Facebook e nosso álbum de fotos no Flickr

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

A Biblioteca do Sítio Vanessa está bombando!

O final de semana foi agitado no Sítio Vanessa. Além do feriadão de carnaval, a Dona Josefa fez aniversário, e a Biblioteca do Sítio esteve bastante movimentada. Enviamos 74 livros, 20 revistas e 13 gibis. Todos os livros são doações de alguns colegas de faculdade, professores e ex-professores tão queridos e sempre abertos à nossas ideias, amigos de amigos de amigos e seus parentes, pessoas que gostam da nossa biblioteca e enviaram livros por Sedex, ou que nos chamaram para buscar.


Biblioteca do Sítio Vanessa em sua segunda fase

O desafio agora é que nós precisamos encontrar um lugar dentro do Sítio Vanessa para abrigar os livros, porque a sala e a estante restaurada pelo Edemilson localizadas dentro da casa da Dona Josefa (podem ser vistas nessa publicação) ficaram pequenas para tantos volumes. São aproximadamente 600 títulos de livros. Nesses dias movimentados de feriadão, onde os parentes, amigos de Curitiba e o pessoal da comunidade se visitam e fazem suas reuniões, fica complicadinho mexer no armário. E todo mundo quer ver os livros =)
Para lidar com a falta de espaço dentro da estante restaurada, algumas enciclopédias Caldas Aulete que são enormes, e que nós mesmos doamos para o Sítio retornaram para dar espaço aos livros de literatura, que são os favoritos do pessoal, os mais lidos e mais procurados.

Daiane, 19 anos, moradora e leitora assídua da Biblioteca do Sítio Vanessa


Andrea à esquerda é de Curitiba, amiga do pessoal do Sítio Vanessa.
Marinês à direita é de Florianópolis, sobrinha do Edemilson Pereira (dono do Sítio e nosso companheiro de projeto). Elas estavam passando o feriado de carnaval no Sítio Vanessa e aproveitaram para conhecer os livros e fazer algumas leituras.



A possibilidade de uma nova biblioteca na Estrada do Anhaia!

Edemilson Pereira da Biblioteca do Sítio Vanessa


Um fato que eu gostaria de dividir com os nossos leitores e amigos da Biblioteca do Sítio Vanessa, e que muito nos emocionou nesse feriadão de carnaval é que, as possibilidades acenam para a criação de uma nova biblioteca na Estrada do Anhaia. O Edemilson andou conversando com as professoras da região, e soubemos que seria ainda mais legal se a biblioteca estivesse mais próxima das escolas, das crianças, e do povoado. O Sítio Vanessa é a propriedade mais distante da Estrada do Anhaia, fica bem no finalzinho, após 15 km de estrada rural de saibro, onde as casas e sítios não são tão próximos uns dos outros. Mesmo assim já atinge um grande número de leitores. A ideia de que seria interessante que as crianças das escolas rurais e seus familiares pudessem ter uma biblioteca ainda mais acessível, mais perto de suas casas veio à tona. Foi conversado sobre a possibilidade de conseguir uma sala mais para o meio da Estrada do Anhaia, e uma pessoa voluntária, moradora da região para atender nessa futura biblioteca, que inclusive já recebeu nome, a Biblioteca Comunitária do Anhaia.
Diante dessas possibilidades, nós nos colocamos inteiramente à disposição para aliar forças à esse projeto, seja para abastecer essa futura biblioteca com livros, para trocar ideias e experiências, para divulgá-la e para explicar às pessoas o seu funcionamento. Quanto mais bibliotecas espalhadas pelas estradas rurais ou locais distantes dos grandes centros, levando livros, histórias, conhecimento às pessoas, um pouco melhor será esse mundo não é mesmo?

Abraço à todos e muito obrigada aos envolvidos!
Parabéns Dona Josefa pelo seu aniversário!
Boas leituras!

Mais fotos da Biblioteca do Sítio Vanessa e de seus leitores.
Acesse também nosso Facebook.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

O assunto é biblioteca!

Seja bem vindo ao blog da Biblioteca do Sítio Vanessa. Aqui estão alguns links onde você pode encontrar informações específicas sobre a história da Biblioteca do Sítio, quando começamos, conhecer alguns dos leitores, e também ler alguns textos sobre "doação consciente".


Um Começo - O pontapé inicial à Biblioteca Comunitária Sítio Vanessa no bairro de Cabrestante, comunidade localizada no final da Estrada rural do Anhaia, distante 15 km do centro de Morretes, na Serra do Mar do Paraná.

1º Passeio Educativo da Biblioteca Comunitária do Sítio Vanessa - Primeiro evento realizado pela Biblioteca Comunitária Sítio Vanessa, com a presença dos alunos, alunas e professoras da Escola Rural Municipal de Anhaia e da Escola Rural Municipal de Rodeio, e os colaboradores da Biblioteca em Morretes/PR. Os alunos conheceram as instalações do Sítio Vanessa e participaram de uma conversa educativa sobre preservação ambiental.

Todo livro que vai, volta - Como funciona a biblioteca, como são feitos os empréstimos e quem são nossos leitores.

Doação é Amor - Algumas palavras sobre "Doação Consciente", orientações para pré-seleção de material a ser doado a bibliotecas comunitárias e para outros locais em diversas situações.

Dicas para conseguir livros para sua biblioteca comunitária - Pequena lista de dicas para começar o projeto de uma biblioteca comunitária, baseada nas experiências vivenciadas na Biblioteca do Sítio Vanessa.

Três Vidas no Sítio Vanessa - Vídeo com o projeto fotográfico documental de autoria de Juliano Rocha, onde podemos conhecer um pouco mais das instalações do Sítio, seus moradores, seu trabalho o dia a dia deles.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Três Vidas no Sítio Vanessa

Fique à vontade para assistir o vídeo com o projeto fotográfico documental de autoria do Juliano Rocha sobre o Sítio Vanessa, para o curso de fotografia da Escola Portfolio.



No vídeo é possível conhecer um pouco da vida por dentro do Sítio Vanessa, e alguns de seus queridos moradores, nossos leitores.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Como montar uma biblioteca livre-comunitária

Para quem tem vontade de começar uma biblioteca livre ou comunitária e está procurando dicas, indico o link abaixo do site "Livros e Afins".




Como criar uma biblioteca comunitária em 1 passo simples

Ressalto as seguintes ideias sugeridas: "uns 40 livros que você considera bons, livros que você ama, não pelo objeto que eles são, mas pelo conteúdo que eles carregam, não como mero recepiente, mas como transportadores de prazer, conhecimento e diversão".
Nós começamos a Biblioteca do Sítio Vanessa com 30 livros da nossa própria estante. Isso significa que eram livros que já havíamos lido, livros queridos, livros que consideramos importantes até hoje, e principalmente livros que gostaríamos que outras pessoas também tivessem a oportunidade de ler.

O lugar também é importante: "Você deve oferecer a possibilidade de uma biblioteca aos donos do lugar. Há uma grande possibilidade de eles aceitarem".
A ideia de montarmos uma biblioteca no Sítio Vanessa foi muito bem aceita desde o início. É a oportunidade inédita de levar livros aos moradores da Estrada do Anhaia em Morretes, localidade rural que até então não tinha uma biblioteca nos arredores. Sem contar o espetáculo de paisagens que a Estrada do Anhaia oferece, lugar perfeito para a existência de uma biblioteca. As inúmeras crianças alunas das escolas rurais que ficaram encantadas com os livros infantis que levamos para lá, e a experiência de unir a biblioteca com uma aula de educação ambiental só serviu para alicerçar a biblioteca. Os moradores deram à ela "a cara" que ela tem hoje, de cortesia, de visitação entre amigos, vizinhos, parentes, visitantes de fora, de aconchego, de família, sem complicações, do livro ali ao alcance das mãos, pertinho da cozinha, de um gole de café com leite, um suquinho, uma janela para a Serra do Mar, uma delícia.

Também é importante estabelecer um sistema de como a biblioteca irá funcionar. "Um sistema: quanto mais simples melhor. O objetivo não é manter os livros na biblioteca, mas fazê-los circular".
O sistema escolhido por nós é o de biblioteca livre e isso significa que as pessoas se comprometem a devolver o livro após a leitura, ou a repassá-los a familiares, amigos e colegas, movimentando assim o ciclo de leituras. Sem nenhuma obrigação com carteirinhas, apresentação de documentos, ou taxas simbólicas. E tem funcionado bem. Os livros são carimbados (veja nesse post o carimbo) com uma pequena explicação de como funciona o empréstimo.
No início da Biblioteca do Sítio, deixei um caderno de visitas, para os leitores anotarem os livros que estavam emprestando, não como uma forma de controlar os livros que entravam e saíam, mas para saber a preferência de leitura deles. O livro de visitas realmente serviu para conhecermos os livros que mais despertavam interesse, mas me pareceu uma coisinha chata, porque o gostoso mesmo é você pegar o livro a hora que bem entender, o título que achar melhor, e não anotar nada. O livro vai e o livro volta naturalmente. Biblioteca livre! A troca de ideia e conversas sobre os livros diretamente com os leitores foram acontecendo a cada entrega de livros, e são bem mais valiosas para conhecer os gostos de cada um dos nossos leitores do que o caderno.

A dica mais importante dessa lista foi a seguinte: Biblioteca livre e comunitária é ação de guerrilha: "Ao ter a iniciativa para a criação de uma biblioteca desse tipo, seja rápido. É quase uma ação de guerrilha". A primeira vez que visitamos o Sítio Vanessa e conversamos com o dono do local, Edemilson Pereira, sentimos que "aquele" era o lugar. E era mesmo! Antes que as dúvidas questionando se o projeto daria certo ou não surgissem, nós já mandamos confeccionar um carimbo, e selecionamos os livros, e colocamos a proposta para o Edemilson. Conforme fomos conhecendo a história de cada um dos moradores, passamos a trocar vivências. A experiência de realizar um evento tão bacana que era o sonho do Edemilson, foi decisiva para percebemos que uma biblioteca só tem coisas boas a adicionar à um local, e à vida de várias pessoas. Os livros e revistas circulando entre leitores e o retorno que recebemos, gera uma satisfação incrível!

*

Se você quer fazer acontecer e montar uma biblioteca livre-comunitária, leia aqui a publicação com as dicas inspiradoras do Alessando Martins, idealizador da Biblioteca Pote de Mel na íntegra.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Todo livro que vai, volta

A Biblioteca do Sítio Vanessa funciona há 7 meses dentro da casa de Edemilson Pereira e de sua mãe, Dona Josefa. Eles moram numa região riquíssima em belezas naturais, cercados pela Mata Atlântica, três quilômetros abaixo do Viaduto dos Padres, na BR 277, em Morretes, Serra do Mar do Paraná. O acervo da biblioteca está instalado na sala da casa da Dona Josefa, num armário que o Edemilson restaurou especialmente para abrigar os livros. Ele recuperou o móvel que estava aguardando um projeto de restauro há tempos, lixou, pintou, envernizou, e deixou novinho para que abrigássemos os 500 livros que já foram levados e enviados para o Sítio Vanessa. O Edemilson precisou da ajuda de três pessoas para levar o móvel de dentro do depósito de ferramentas que ele tem, pelo terreno íngreme e acidentado até a casa deles. Acontece que o armário rapidamente ficou pequeno, e agora o Edemilson está estudando a possibilidade de arranjar uma sala para abrigar a biblioteca.

Casa do Edemilson e da Dona Josefa no Sítio Vanessa


Dona Josefa e Edemilson


Dani Carneiro organizando o armário restaurado


O Edemilson foi quem nos possibilitou criar dentro da casa dele uma biblioteca de iniciativa livre e comunitária. A biblioteca é comunitária porque foi criada com o objetivo de levar aos moradores da Estrada do Anhaia livros, atender a comunidade com uma atividade cultural que até então não era acessível à eles e envolver crianças, jovens e adultos num ciclo de leitura. Nos bairros que estão localizados na Estrada do Anhaia (Anhaia, Mundo Novo do Anhaia, Rodeio e Cabrestante) não havia nenhuma iniciativa direcionada ao incentivo à leitura. Não há uma biblioteca pública ou privada ao longo dos 15 km da estrada rural. Agora a Estrada do Anhaia tem a Biblioteca Comunitária Sítio Vanessa.

A biblioteca é livre porque não são exigidos documentos (RG, CPF, comprovante de residência e foto 3x4), nem carteirinha. Não é cobrado “taxa simbólica” por empréstimo ou por devolução fora do prazo. O prazo combinado para devolução é o tempo que a pessoa levar para ler aquele livro. Se o leitor não puder devolver o livro diretamente no Sítio (que é a última propriedade localizada na Estrada do Anhaia, após 15 km de distância do centro de Morretes), pode entregar o livro diretamente para o Edemilson. Também incentivamos os leitores a emprestarem os livros aos amigos, parentes, colegas, quanto mais gente lendo melhor!

Diferente dos costumes da cidade grande, as pessoas do interior ainda preservam o simpático hábito de se visitarem. Se reúnem aos sábados, Dona Josefa, suas filhas, sobrinhas e primas para fazerem os pães caseiros que abastecerão boa parte da família durante a semana. Se visitam e dão carona, quando precisam ir ao centro de Morretes, pagar contas, fazer compras, e resolver alguma pendência que só se resolve no centro. Então eles sempre estão em contato com os vizinhos e parentes, retribuindo ou fornecendo uma carona, visitando, batendo papo, ou simplesmente aparecem no Sítio, que é um lugar divino para passear e dar uma relaxada! Agora eles podem incluir mais uma atividade à esse passeio ao Sítio Vanessa, pegar um livro, escolher uma árvore, ou a beirada do Rio dos Padres e ler.

Dona Josefa e sua filha Maria em suas leituras após o café da tarde


Dona Josefa tem três netas que moram com ela, com idades entre 19 e 25 anos. As netas têm amigos, namorados, colegas de escola, de trabalho. Pelo que acompanhamos em todas as vezes que levamos livros para lá, todas essas pessoas da convivência do pessoal do Sítio se tornaram leitores e fazem uso da biblioteca. Os colegas do trabalho do Edemilson como ele nos contou já emprestaram livros da biblioteca. Nós mesmos já presenciamos várias situações de empréstimo, e a sensação de ver a biblioteca andando com as próprias pernas não tem preço! Aos poucos ela vai se alastrando, tomando forma, conquistando leitores, numa velocidade bem acima das nossas expectativas.

Dona Benedita (sobrinha) e Matilde (filha) da Dona Josefa e Dani Carneiro com as revistas de artesanato


É assim que funciona a Biblioteca do Sítio Vanessa, dentro da casa da Dona Josefa e do Edemilson, por enquanto os livros estão no móvel restaurado, mas logo passarão para uma sala. Os livros chegam, são levados para dentro da casa da Dona Josefa, e quem por lá passa, pode emprestar à vontade, os livros, as revistas dos mais variados temas, material didático, apostilas, que nos foram doados, cuidadosamente selecionados, e agora encontram seus leitores. Não sem antes tomar um bom café com leite, tomar suco, comer bolo de banana, cueca virada, e todas as delícias que Dona Josefa e sua filha Maria fazem com tanto carinho. A biblioteca está inserida nesse cenário familiar.

As crianças entusiasmadas com os livros no 1º Passeio Educativo do Sítio Vanessa


No 1º Passeio Educativo que realizamos no Sítio Vanessa, quando levamos alunos das duas escolas rurais municipais da Estrada do Anhaia para conhecer o sítio e trocar experiências sobre educação ambiental, tivemos a oportunidade de explicar às professoras e aos alunos como funciona uma biblioteca livre, o que é uma biblioteca livre, e eles adoraram. Antes do Passeio Educativo ser realizado, fizemos uma reunião com as professoras para conversar sobre bibliotecas livres, de iniciativa voluntária, abastecidas com doações espontâneas. Durante o evento, combinei com as crianças que depois que elas lessem os livrinhos, poderiam devolver para as professoras, ou passar para um irmão, um coleguinha, para os amigos e parentes, para que o ciclo de leitura continuasse em movimento. As professoras receberam os livros novamente e devolveram ao Edemilson. Tudo deu certo, elas compreenderam perfeitamente bem, levaram os livros, ficaram o tempo necessário com eles para ler, e depois devolveram. Simples, fácil, prático. Além de compreender a experiência, deram valor. Foi uma experiência muito bem sucedida, que além de nos emocionar, nos fez ver que é possível concretizar na prática uma biblioteca livre.

Nossos leitores


Missão cumprida!


É importante para nós que os moradores da Estrada do Anhaia tenham acesso aos livros, que leiam. É possível fazer acontecer, temos vivenciado isso nos últimos sete meses. Os livros são novidade, algo que essas crianças não tinham até então (livros de dinossauros, animais, enciclopédias ilustradas sobre natureza, livros infantis com muita ilustração) fizeram um grande sucesso durante o nosso evento. Deixamos os livros livres, eles vão cumprir seu papel e voltam. Os leitores já se habituaram a ler e devolver. Os livros direcionados ao público adulto também já fazem seus passeios. Como conhecemos nosso acervo e os livros que estão nele foram selecionados de acordo com o perfil de uma biblioteca na Serra do Mar, e depois de acordo com que os leitores foram nos pedindo, é fácil perceber quando o livro foi emprestado, e depois, quando retorna. Com as revistas é a mesma coisa. Eles vão e voltam. É o ciclo de leitura acontecendo. Todo livro que vai, volta. O mais importante para nós é que o maior número de pessoas esteja com um livro da Biblioteca Comunitária Sítio Vanessa nesse momento, lendo.


*

Visite nosso Facebook
Veja nossas fotos no Flickr
Entre em contato: bibliotecadositio@gmail.com

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Doação é amor

Alunos das escolas rurais de Rodeio e do Anhaia com os livros doados à Biblioteca Comunitária Sítio Vanessa

Quando for doar qualquer coisa para outra pessoa: livros, revistas, roupas, objetos de higiene e limpeza, bijuteria, cobertores, comida, antes faça uma pequena reflexão: isso que eu estou doando pode ser verdadeiramente reaproveitado? Você gostaria de receber de outra pessoa isso que você está doando? Doação não tem nada a ver com “descarte”. Não repasse algo pra frente porque você quer se livrar, mas não tem coragem, porque outra pessoa “pobrinha” poderia aproveitar. Se não dá para aproveitar, é lixo!

Se for doar roupas, não doe roupas velhas, imprestáveis, doe aquilo que você gostaria de usar ainda, mas não te serve mais. Exemplo: “Essa blusinha preta não fica bem em mim porque engordei, mas numa menina magrinha ficaria bonita, porque não usei muito”.
Se for doar um sapato salto agulha, um casaco de pele sintética, um vestido longo para o tapete vermelho, doe para alguém que você sabe que tem a vida social animada, nada de enviar para os resgatados de alguma enchente.

Se você está com dó de se desfazer de roupas velhas, rasgadas, muito batidas, que seriam um absurdo serem doadas para outras pessoas, doe para instituições que resgatam e cuidam de animais, pois eles têm muita utilidade para tecidos, seja para servir de cobertores, limpar o chão, e inúmeras tarefas.
Se for doar um cobertor, edredom ou roupas de cama coloque no sol, ou lave antes de doar. Se for doar comida, doe somente o que você comeria. Não vá doar os molhos de tomate, ketchups e mostardas velhos da geladeira.Se estiver com a data vencida: Lixo!
Se for doar bijuterias, nada que esteja faltando peça, ou faltando o par. Jogue fora.

Se for doar livros, doe livros que você ainda sentiria prazer em reler. Está com traças, mofado, rasgado, faltando folhas, é apostila de cursinho vestibular, de curso de inglês com os exercícios preenchidos, livros riscados, não tem como outra pessoa fazer uso disso. Lixo reciclável neles!
Doação é amor, é muito mais que "se livrar" de algo que está atravancando o caminho, é respeito pelo próximo, é cuidado. O cuidado que você tem com suas coisas sendo repassado para outra pessoa. Doar é se colocar no lugar da outra pessoa, ser capaz de por um instante tentar compreender a situação dela, e se colocar naquela situação.

Não vamos mais ver "doação" como uma oportunidade de nos livrar do lixo que não temos coragem de jogar fora.

Texto de Daniele Carneiro - Bibliotecas do Brasil
contato@bibliotecasdobrasil.com